Entre a Europa e a Ásia: as joias do turismo, arquitetura e culinária de Istambul

“Tradicionalmente os turcos são hospitaleiros e generosos com os viajantes. Uma nação islâmica progressista, tolerante e aberta para o mundo (...)”

3273

Desperto como uma fênix radiante de curiosidade e energia. Abro as cortinas do quarto e o cenário é fascinante. Meu olhar vagueia com o fluxo dos barcos e a beleza do magnífico estreito do Bósforo, que separa a Europa da Ásia. em Istambul. Tomo um banho de sultão e flutuo para o café da manhã no suntuoso Four Season Hotel Bosphorus. Encontro meu grupo de impávidos jornalistas, degustando as delícias do “petit-déjeuner” e ávidos para o primeiro dia em solo turco.

Four Seasons Sultanahmet_Old City

Durante uma semana, desvendaríamos as joias do turismo, arquitetura, culinária, arqueologia e espiritualidade deste entrecruzamento da história das civilizações e berço da humanidade que é a Turquia.

Leia Também: Na Capadócia, passeio de balão, cidades subterrâneas e um dos melhores hotéis do planeta

Apesar da instabilidade na geopolítica da região, a Turquia mantém com extrema vigilância sua segurança. Tradicionalmente os turcos são hospitaleiros e generosos com os viajantes. Uma nação islâmica progressista, tolerante e aberta para o mundo.

DSC_1877

Lépidos e faiscantes, nosso grupo de jornalistas contemplava a paisagem enquanto o veículo transitava pela margem do Bósforo em direção ao inusitado. (O inusitado tem uma longa preparação).

DSC_1639

Nossa primeira parada é a praça do Hippodrome. Observo um imenso obelisco que chacoalha minha kundalini. O totem colossal foi erigido por Tutmés III em 1490 a.C, no templo de Karnak (Egito) e transplantado pelo imperador Teodósio no ano de 390 para o Hippodrome.

DSC_1659

Seguindo o fluxo, sou surpreendido pelo estonteante Topkaki Palace. O prédio foi a sede administrativa do império Otomano por quase 4 séculos, um dos três maiores impérios do mundo. O sultão Mehmet II, após a conquista de Constantinopla, iniciou a construção do Palácio Topkapi no século 15. Nos anos seguintes, os sultões ampliaram o palácio com inúmeras construções majestosas.

DSC_1536

Iniciamos nossa aventura no complexo. Estávamos simplesmente no {{Harém}}…. Essa ala, antes restrita ao sultão e familiares, atiça a imaginação de qualquer criatura. Meus pensamentos borbulhavam e meu coração palpitava com as histórias que nossa guia Ece Liya ilustrava com picante erudição: os segredos e mistérios da corte, daqueles salões, daqueles vestíbulos.

FSSultanahmet_Topkapi Palace

 

O poder de dar uma espiadela na intimidade do Harém aguçava os sentidos. Uma infinidade de concubinas, esposas, eunucos e odaliscas do sultão viviam sob a autoridade e poder absoluto da matriarca, a mãe do sultão, a Sultana Validé.

DSC_1466

Caminhando pelos corredores e com as pitadas de sabedoria da guia. Destilávamos a vida suntuosa daquele período recheado de intrigas, hierarquias, tédio, poder e sedução. A organização do harém era rigorosa, e possuía dezenas de eunucos vigiando e prestando serviço ao sultão e à corte. A mãe do sultão, a abelha rainha, decidia tudo, tudinho; da odalisca a feliz escolhida aos aposentos do sultão. O sonho supremo das integrantes do harém era ser a sucessora da Sultana Validé.

Four Seasons Sultanahmet_Blue Mosque

Sigo para outro setor e fico em estado de graça diante do colossal acervo das coleções do Topkapi, com suas joias (o diamante Kasikci, de 86 quilates), armaduras, tapetes, relíquias, tronos, armas cravejadas de pedras, organizados por imensos salões e pavilhões.

DSC_1709

Uma ala me deixou no estado ‘Believe or not’ (acredite se quiser). Um verdadeiro ponto de peregrinação para os muçulmanos. No local, encontra-se o manto do profeta Maomé, além de um dente, a marca de pegada, fios da barba e sabres do profeta. No mesmo pavilhão, estão expostos o cajado de Moisés, o turbante de José, a espada de Davi e parte do crânio de São João Batista.

DSC_1699

Nossa saga continuava. O dia apenas começava. Antes de conhecer a colossal Basílica de Santa Sofia, penetrei no mundo intraterreno na cisterna da Basílica. O complexo foi construído em 532 e possui 336 colunas romanas trazidas de templos pagãos da Anatólia. Ele ocupa uma área de 10.000 metros quadrados e tem 8 de altura. A capacidade da Cisterna é para 30 milhões de litros, foi construída para prevenir a cidade de ataques aos seus aquedutos. O supra sumo são duas colunas misteriosas. A base delas tem o desenho e a forma de cabeças de Medusa.

DSC_1912

Saio das catacumbas e contemplo a fabulosa Basílica de Santa Sofia. Sua imensa cúpula de 32 metros de diâmetro e 60 metros de altura magnetiza meus sentidos. Erguida em 537 pelo imperador Justiniano é, sem sobra de dúvida, um ícone sagrado da arquitetura mundial. Séculos depois, em 1453, foi transformada em mesquita após a conquista de Constantinopla pelos Otomanos.

DSC_1935

No ano de 1935, o herói e fundador da República Turca, Mustafa Kemal Ataturk, converteu a Santa Sofia em um museu. Desde 1985, o local é considerado um Patrimônio Mundial pela Unesco. O interior é uma viagem ao túnel do tempo.   As paredes estão repletas de imagens de santos, mosaicos e gigantes painéis com grafismos islâmicos. É uma mistura das duas religiões.

Four Seasons Bosphorus_Istanbul_2

Durante um bom tempo, fiquei quietinho, admirando e respirando aquele portal da história da humanidade. A fome apertava. Demos uma parada para almoçar. O clássico banquete com iguarias turcas.

Four Seasons Sultanahmet_Grand Bazaar

 

Em seguida, mergulhamos no peculiar Bazar egípcio. Também conhecido como Spice Bazaar, o local é um sucessão de lojinhas coladas uma na outra em um galpão repleto de especiarias, unguentos, baklavas, narguiles, temperos, chás, frutas secas e acepipes de todo oriente.

Caminho pelo corredor principal e sou convido por um vendedor para bebericar alguns chás. Degusto um delicioso chá de jasmim com uma imensa flor aberta dentro do recipiente. Mehmeet, o vendedor, diz que o bazaar era uma das últimas caravanserai, que hospedavam caravanas e mercadores que faziam a rota da seda vindos da China, Índia e Pérsia. Comprei algumas iguarias e mergulhei no sol escaldante na saída do mercado.

DSC_1587

A multidão dominava as ruas. Num átimo de segundo me perco do grupo e saio andando em direção ao grande Bazar.  O fluxo é com se fosse de entrada de jogo de futebol. São milhares de pessoas se espremendo no imenso labirinto. O Bazzar é o maior e mais antigo mercado coberto do mundo. Suas entranhas, com quilômetros de corredores e mais de 4 mil lojas, oferecem tudo aquilo que você imagina e desconhece.

DSC_1566

A variedade de mercadorias é infinita: tapetes, luminárias ultracoloridas, prata, joias, cerâmicas, tecidos, sapatos Aladim e uma infinidade de temperos e guloseimas. Os vendedores querem fazer negócio, vender seus produtos. A experiência é fascinante. Os valores variam conforme o sotaque e o carisma do freguês. Um ritual secular de gentilezas, onde pechinchar, barganhar, comprar e vender fazem parte do show.

Four Seasons Sultanahmet_Haghia Sophia14

Completamente realizado e exaurido, peguei um táxi e retornei para o Hotel. No anoitecer, fomos jantar no delicioso Mikla Restaurante, com seu menu da nova culinária da Anatólia. O Mikla, com o chef Mehmet Gurs, é um dos restaurantes mais incensados do planeta. A localização no topo do hotel The Marmara Pera oferece aos clientes um visual arrebatador da silhueta do Bósforo e as maravilhas de Istambul.

DSC_1908

Na manhã seguinte, estava renovado. Por incrível que pareça o desgastante Jet-Leg havia se dissipado. Em sintonia com a vida intensa e cosmopolita de Istambul, nosso grupo aproveitava a estadia e conhecia outras jaias da coroa local e da humanidade.

Voltamos a Sultanahmet Square para finalmente visitar a fascinante Mesquita Azul. Estonteante, ela possui 5 cúpulas principais, 8 secundárias e seis minaretes. Foi construída de 1609 a 1616 pelo sultão Ahmed com todos os ingredientes da arquitetura otomana com elementos bizantinos. A Mesquita está ao lado da Basílica de Santa Sofia e compõe um dos cenários mais impactantes em Istambul.

DSC_1529

Somos abduzidos pelos mais de 21 mil azulejos que decoram as paredes da mesquita e o efeito se potencializa pela claridade que penetra pelas 260 janelas. O azul predomina. O interior é um portal para qualquer pessoa entrar em êxtase.

DSC_1770

Istambul é repleta de segredos e mistérios para se desvendar. Longe das maiores atrações e localizada no distante bairro de Edirnekapi tivemos o privilégio de conhecer o supra sumo dos mosaicos e afrescos da cultura bizantina, isto é a Igreja de São Salvador, em Chora.

DSC_1760

Em cada parede de seu interior, explodem passagens bíblicas onde religião e arte se fundem. O ouro esta presente em diversos mosaicos que foram preservados ao longo dos séculos. Uma visita imprescindível a esta joia rara da cultura e arte bizantina.

DSC_1739

Na linha entre a Ásia e a Europa
“Vamos navegar pelo estreito do Bósforo!”. Este foi o convite de nossa guia Ece Liya. Navegar é preciso. Rapidamente o grupo se lançou para o pier do four Season Hotel e embarcou no iate. Navegamos na linha imaginária que separa a Ásia da Europa. O dia estava radiante e fomos passando suavemente pelo maravilhoso Palacio Dolmabahçe e uma sucessão de edifícios históricos, mansões e o bairro de Ortakoy, onde esta a mesquita barroca de Ortakoy.

DSC_1828

Anestesiados pela diversidade das margens e tamanha beleza, não sentimos o tempo passar. Ao final de duas horas de passeio, desembarcamos próximo à Fortaleza da Europa e fomos direto para o setor ultramoderno e descolado do bairro de Bebek. São muitos restaurantes, bistrôs, jet-set e gente bacana.

DSC_1817

Almoçamos no epicentro dos ricos, famosos e lustrados da cena turca e europeia: o aconchegante e disputado Lucca. Uma infinidade de Ferraris, laborguinis e carros de luxo dividiam as pequenas ruas com os transeuntes.

DSC_1860

Ao longo da caminhada, visitamos a deliciosa vila de Ortakoy e finalizamos a jornada no exuberante Palacio Imperial Dolmabahce. A influência europeia se mescla com a arquitetura Otomana, com o barroco, neoclássico e Rococó.

DSC_1623

O Dolmabahçe foi o último suspiro de poder do império Otomano. O palácio é um labirinto de corredores, salões gigantescos, dezenas de banhos turcos e 285 quartos. Por todos os setores a extravagância está eternizada com mobílias luxuosas, cristais de bacará, tapetes gigantescos de Hereke e obras de arte.

Como ir:
http://www.turkishairlines.com/

Capadócia
Onde ficar:
http://www.museumhotel.com.tr/

Passeio de balão:
http://www.royalballoon.com/

Agradecimentos especiais :
http://www.teresaperez.com.br/ Erik Sadao e equipe.

http://www.seasong.com/ A querida Karen Fedroko Sefer.

Me sigam também no Instagram @verissimoarthur

DSC_1692 DSC_1678 DSC_1664